quinta-feira, junho 17, 2010

A fé raciocinada

Plano de Aula


Objetivos: Mostrar que fé é acreditar em algo, não só em Deus, mas em tudo. Acreditar sempre no bem é ter fé..... quando desanimamos, não estamos usando nossa fé. Apresentar a fé raciocinada que a doutrina nos incentiva a estudarmos, entendermos para poder acreditar.Formar na criança o conforto da fé, a paz que a fé em Deus (sabermos que Ele nos ampara sempre) nos traz ao coração, e a capacidade de entendimento e questionamento, incentivar o estudo, para exercitar a fé raciocinada.



MATERIAL: Uma vela (de preferência, não a tradicional, branca, mas uma enfeitadinha), retângulos de cartolina de aprox. 20x30cm coloridos, papeizinhos para a gincana com perguntas sobre a estória contada e sobre a fé.


Prece Inicial


Primeiro momento: INCENTIVAÇÃO INICIAL:
Perguntar:-O que é fé? (escrever Fé no quadro)
Fé: certeza, crença em algo. É a firme convicção de que algo seja verdade, sem nenhuma prova de que este algo seja verdade, pela absoluta confiança que depositamos neste algo ou alguém.
A fé descansa na certeza.
A fé é a certeza…
É possível nutrir um sentimento de fé (crença) em relação a:. Uma pessoa (mãe, pai, amigo, padre, santo, Emmanuel, Chico Chavier, etc.). Um objeto (imagens, velas, medalhas, etc.). Nas coisas (horóspoco, sorte, rituais, etc.).
Um pensamento filosófico (“Quanto mais aprendo, mais me dou conta da minha ignorância”; “A ciência sem a religião é paralítica e a religião sem a ciência é cega”;“Fé inabalável só é a que pode encarar a razão, face a face, em todas as épocas da humanidade – Allan Kardec.”
. Uma crença popular (a voz do povo é a voz de Deus). Em dogmas de uma determinada religião (comunhão, promessa, correntes, etc.)A fé pode ter muitos significados e é mais comum falarmos na fé em Deus.Quando temos crenças religiosas, aceitamos a visão dessa crença como verdadeira, mas, tendo tal compromisso com tal religião não é necessário que sejamos cego, fanáticos ou submissos na crença. Sob esse aspecto, podemos falar ou compreender dois tipos de fé: Fé cega e a Fé raciocinada.
  • A Fé cega é quando alguém diz algo que mesmo fugindo a razão, acreditamos e aceitamos sem questionar. Ex.: “Existe dois Deuses, o Deus do bem e o Deus do mal (diabo).”
  • A Fé raciocinada ao invés de aceitar sem questionar o que me dizem, eu analiso, busco informações, pesquiso, procuro pessoas, livros que venham esclarecer sobre o que ouço. Um grande exemplo de Fé raciocinada é o que Allan Kardec nos deu. Ocorridas às manifestações das mesas girantes em 1854 não negou a princípio, mas observou para crer, questionou os próprios espíritos, analisou suas respostas e pela razão e fé constatou a verdade da existência da alma após a morte e existência do mundo espiritual, surgindo então enfim, O Livro dos espíritos.E é assim no estudo dos fatos Espíritas. O espírita tem o dever de estudar e conhecer os princípios básicos de sua doutrina. A fé raciocinada só pode ser adquirida através da instrução. Para amar e auxiliar o próximo o espírita não pode estacionar na ignorância, precisa aprender, adquirir conhecimentos, instruir-se.Jesus falou, ensinou e deu muitos exemplos de fé.
  • Há muitas passagens na bíblia que descrevem a fé sublime que Jesus gozava, e de todo o seu coração, em Deus.Uma vez, quando Jesus estava ensinando o povo, vieram alguns homens mandados por um centurião (é um soldado) trazendo um recado pedindo ao mestre que curasse um empregado seu. Jesus ia até a casa desse soldado, mas ele disse que não era digno que ele entrasse em sua casa que Ele dissesse só uma palavra e seu empregado seria curado. E ainda disse que sabia que Jesus era um homem muito ocupado (tinha uma missão importantíssima), pois também ele tinha também obrigações e não queria que Jesus se prendesse com seus problemas sendo que Ele tinha uma humanidade inteira para cuidar. Jesus admirou-se com a fé daquele homem e mandou-o para casa, pois, chegando lá seu empregado estava curado.Nessa passagem evangélica podemos notar a fé raciocinada do soldado, a Fé engrandecida pelos conhecimentos da grande missão de Jesus, purificada pela humildade, santificada pela prece na pessoa do centurião, que o mestre ainda disse: ‘Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel achei tamanha fé!
  • ‘.Pela certeza de um futuro certo, a fé nos serve como incentivo e alavanca de progresso e força para superar obstáculos. A fé raciocinada nos faz caminhar em linha reta, pois temos a certeza do caminho claro a ser seguido.Segundo momento: Explicar que nossa fé é uma chama, que não podemos deixar apagar. Acender uma velinha.Perguntar: - Como apagamos uma chama? Vento. Então vamos testar essa chama, vamos avaliar a nossa fé?

Terceiro momento:

ATIVIDADE: Fazer um leque, sentar em círculo em volta da vela. Explicar que existem muitas circunstâncias no mundo testando a nossa fé. As dificuldades, as tristezas... Assim como agora a vela está com muitos leques a sua volta.Contar a estória “A lição do jabuti” e pedir para que nos momentos ruins (nos quais eles sentirem que o personagem sentiu tristeza, raiva, desespero, angústia, eles abanem, tentando apagar a vela). Quando forem momentos bons, de alegria, amor, paz, eles parem. Se a vela apagar, o evangelizador acende novamente.Ao fim da estória, dizer que a chama é como nossa fé. Ela é bonita e brilha dentro de nosso peito. Mas, com as dificuldades da vida, muitas vezes ela quase apaga. Se a tristeza nos domina, esquecemos dela. Por isso devemos estar sempre a exercitando, estudando o evangelho, pra que não deixemos que ela se apague. Perguntar se eles perceberam que as vezes que ela apagava, alguém acendia. Explicar que é o papel de nosso mentor: sempre nos amparando quando estamos em dificuldade. Devemos ter fé, porque não estamos sozinhos, Deus nos ampara.

Quarto momento:

Atividade escrita ou desenhos para colorir

Prece Final

Nenhum comentário:

Postar um comentário